Volte ao SPIN

SPIN01 SPIN02 SPIN03 SPIN04 SPIN05 SPIN06 SPIN07
SPIN08 SPIN09 SPIN10 SPIN11 SPIN12 SPIN13 SPIN14
SPIN15 SPIN16 SPIN17 SPIN18 SPIN19 SPIN20 SPIN21
SPIN22 SPIN23 SPIN24 SPIN25 SPIN26 SPIN27 SPIN28
SPIN29 SPIN30 SPIN31 SPIN32 SPIN33 SPIN34 SPIN35
SPIN36 SPIN37 SPIN38 SPIN39 SPIN40 SPIN41 SPIN42
SPIN43 SPIN44 SPIN45 SPIN46 SPIN47 SPIN48 SPIN49
SPIN50 SPIN51 SPIN52 SPIN53 SPIN54 SPIN55 SPIN56
SPIN57 SPIN58 SPIN59 SPIN60 SPIN61 SPIN62 SPIN63

SPIN64 SPIN65 SPIN66 SPIN67 SPIN68 SPIN69 SPIN70
SPIN71 SPIN72 SPIN73 SPIN74

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Tristeza a confirmação de segundo turno entre Lula x Alckmin mas vamos em frente, mãos à obra

Tristeza mas tudo bem

De:
jose carlos lima 
É com muita tristeza que tomamos conhecimento do segundo turno. Não podemos
atribuir culpa a ninguém a não ser ao Partido da Mídia Brasileira, Partido
do Tribunal Superior Eleitoral. Percebo que Lula deixa de ser eleito por
conta da grande votação do seu opositor em SP.



Noutras eleições, costuma ser dado um tempo até recomeçar a campanha. No meu
entender, cabe à campanha de Lula moblizar a população para que a mesma
consiga perceber os feitos de Lula. Pelo jeito, quem definiu este quadro
desfavorável a Lula foram os votos dos "tanto faz," ou seja, pessoas para
quem tanto faz Lula como Alckmin, o que não é verdade.

Surpreendi-me ao ver na caixa de comentários ao capítulo 67 no meu blog
http://abandon.zip.net/ um leitor pediu-me que eu escrevesse sobre os feitos
de Lula. Por isso escrevi o capítulo 65, Vote 13. Vi que este mesmo leitor
postou o mesmo pedido no blog do Eduardo Guimarães
http://www.edu.guim.blog.uol.com.br/ Fiquei com dó do leitor ao perceber que o
progama eleitoral na TV não tinha sido suficiente para colocá-lo a par dos
feitos de Lula. Leia o texto Vote 13 no meu blog http://abandon.zip.net/


Por Bernardo Joffily
Com 41% dos votos para presidente apurados, Lula tem 46,8%, Alckmin 43,4% e
Heolísa Helena 6,6%. Os números mostram que os ataques da mídia nos últimos
dias reduziram o favoritismo do presidente, enquanto a esquerda surpreende
positivamente nas disputas estaduais. http://www.vermelho.org.br/




.............................................

Grato,

José Carlos Lima
Goiânia - Rio Meia Ponte
http://abandon.zip.net/


Para cessar cancelar o recebimento responda esta mensagem com cancelar

_________________________________________________________________
Acompanhe os desfiles do evento São Paulo Fashion Week.
http://www.msn.com.br/diversao/spfw/

Sobre o debate na Band

De:
jose carlos lima 
O texto e comentários a seguir foram extraídos do blog do escritor Miguel do
Rosário, http://oleododiabo.blogspot.com/

Blogs interessantes
http://oelododiabo.blogspot.com/
http://edu.guim.blogspot.com/
http://www.informante.net/


"Análise do debate"

Acabei de assistir ao debate. Analisemos objetivamente. É muito fácil a
turma do Alckmin considerar perfeita a perfomance de seu candidato e a de
Lula adotar a mesma atitude. Avançamos conceitualmente e nos comportamos com
maior percuciência quando nos prontificamos a avaliar erros entre nós mesmos
e acertos nos concorrentes.

Alckmin soube, muito inteligentemente, cortar a bola que a mídia levantou.
Ao mesmo tempo, toda a pressão emocional dos últimos anos da mídia sobre o
presidente estava bem nítida em seu rosto tenso e preocupado.

Também ficou claro que esta eleição, mais que nunca, é uma disputa de
classe. Alckmin, que chamou Lula de arrogante, mentiroso, e não sei mais o
quê, foi ele sim extremamente arrogante, exibindo um firme sorrisinho de
ilimitada auto-confiança. Me pareceu o debate entre um menino rico,
orgulhoso, que a vida inteira foi mimado, vereador com quinze anos, prefeito
aos dezoito. Do outro lado, Lula apresentou-se em sua essência, um
trabalhador pobre, humilde, um pouco triste, sem o orgulho de raça e classe
que caracteriza o adversário.

O que houve foi um embate, carregado de simbolismos, entre o cínico e o
sensível. Alckmin encarnando o cínico, numa atitude robótica, texto
decorado, exageradamente feliz em exibir os problemas do Brasil, apressado
em denegrir Argentina, Bolívia, China, com vistas a exaltar um discutível
patriotismo. Lula encarnando um cara sensível, ainda perplexo, abatido, com
sua não-vitória no primeiro turno, por causa de uma estranhíssima armadilha
em que meia dúzia de petistas tiveram suspeitíssima participação.

A vantagem de Alckmin é que a mídia produziu um ambiente perfeito para o
ataque. Seu depoimento foi uma repetição do que dizem todos os colunistas
que o apóiam.

Mesmo assim, não acho que Lula foi bem. Estava muito nervoso, com algumas
dificuldades de dicção, inclusive. Entretanto, achei isso normal, humano,
compreensível seu nervosismo. Lula é presidente, está no fim de um governo
cujas ações estão sendo constamente sondadas, criticadas, questionadas pela
mídia. Lula tem um teto de vidro bem maior do que Alckmin, que foi um
governador que sempre contou com grande simpatia da poderosa mídia de seu
estado.

O importante é que ele participou, mostrou a cara, e quebrou o gelo. Nos
próximos debates, certamente estará mais preparado, em virtude da
experiência adquirida neste primeiro.

Alckmin falou rápido, de forma simples, didaticamente. Soube explorar os
"pontos-fracos" do adversário. Seu erro foi na atitude absurdamente
arrogante. Estava quase explodindo de auto-confiança, pois não esperava
ganhar no primeiro turno. Contava com uma derrota fragorosa que o enterraria
politicamente, e agora está aí, representando uma forte ameaça à reeleição
de Lula.

No entanto, Alckmin caiu no ridículo com a promessa de vender o Aerolula e
construir cinco hospitais. Demogagia barata, lembrou até seu novo grande
amigo e apoiador, Garotinho. A crítica ao Aerolula foi, em si, totalmente
mesquinha. É uma crítica antiga, já desgastada na opinião pública,
exaustivamente respondida.

Meus caros, a luta será dura.
postado por Miguel do Rosário às 7:07 PM em Oct 08 2006


Anônimo disse...
Miguel, desculpe discordar, meu seu baixo astral confesso dos últimos dias
está lhe turvando a vista e os ouvidos. Sinceramente, Lula estava corajoso,
sereno (na medida do possível), o rosto cansado é bem natural e humano, e
sobretudo arguto. Parece que vimos debates diferentes. E soltou umas frases
memoráveis. Além disso, sua presença deve dar ânimo à militância. Que mais
você quer? Que ele esborrachasse um adversário que conta com toda a mídia,
os pães-de-ló desde o berço, e a arrogância de que ele antes acusara Lula?
Ainda por cima com uma luz péssima em cima do Lula, talvez por sua posição,
e sendo mais cutucado, até pelos jornalistas, do que Alckmin?

11:53 PM


Miguel do Rosário disse...
anonimo, acho que Lula conseguiu se sair bem, mas demonstrou nervosimos
demais e se mostrou mal preparado para o debate. As perguntas ao adversário
não foram incisivas.

12:06 AM


Miguel do Rosário disse...
minha esposa achou que o lula foi muito bem e que estou sendo muito
pessimista. mas eu acho que temos que analisar mais fria e objetivamente
essas coisas. oba oba não nos adianta em nada nesta hora. temos que analisar
bem as coisas. acho que o alckmin está se revelando um candidato muito mais
perigoso que eu imaginava. vamos parar com essa história de alto, baixo
astral, pessimismo. não sou xuxa para ficar lutando contra baixo astral. a
questão é analisar com isenção. não sou dono da verdade, posso estar errado,
mas dou minha opinião. queria ver o lula mais tranquilo, mais seguro, mais
rapido no gatilho. ele estava lento, nervoso, sem graça. mas estou confiante
de que ele vai melhorar nos debates seguintes, e alkmin vai perder a crista
e o élan.

12:11 AM


O Anão Corcunda disse...
Concordo plenamente, Miguel. Acho até que você vinha perdendo um pouco de
tempo com essa falsa questão de "pessimismo", "derrotismo", etc., inclusive
num texto que eu, particularmente, achei que não tinha nada disso, que a
análise estava altamente pertinente. Você realmente não é a Xuxa, ainda bem
:)
Quanto ao debate, o Lula estava realmente mais nervoso que o Alckmin. Mas
será uma grande vantagem? O Alckmin estava no estilo Daslu, maquiado, bem
preparadinho, aquele jeito almofadinha escroto que a gente já conhece. Deve
ter feito muito curso de oratória. Robotizado. Higiênico.
Será que essa imagem é comprada pelo eleitorado do Lula ou os indecisos para
esse segundo turno? Aposto que não.
O negócio é que o Lula tem sacadas ótimas de improviso, e acho que isso faz
a diferença. As analogias do Alckmin são forçadas. As ironias do Lula, pelo
contrário, são muito sarcásticas, sensíveis, inteligentes. Quando ele
perguntou se eles estavam com vergonha de levar o Fernando Henrique ao
debate foi genial. E eu pessoalmente fui ao delírio quando falou que Alckmin
pensa que nem o Bush. O discurso do Alckmin não trouxe nada de novo para o
espaço da mídia, bateu na mesma tecla que a mídia mesmo vinha batendo nos
últimos tempos, em discurso claramente voltado para as classes média e
empresarial. A presença do Lula sempre traz algo novo, ainda mais quando uma
de suas maiores dificuldades enquanto governo é criar espaços para a
necessária divulgação do trabalho que vem fazendo.
Nós, identificados com o governo Lula, sentimos muito a falta do Lula nesses
espaços. Considero nosso presidente o quadro político mais avançado de nossa
história. Quando ele vai falar, e improvisar, não consigo fazer nada senão
ouvi-lo. Agora: entendo que ele precisou, nesses três anos de mandato, falar
com a imprensa através do silêncio. Foi difícil, para mim, lidar com isso.
Talvez para todos os militantes...
Mas não sabemos o quanto esse debate pode influenciar no processo eleitoral.
Acho que há um esclarecimento muito saudável em relação a dois projetos
absolutamente diferentes para o país. Como o povão vai se posicionar diante
disso, não sei, mas fiquei mais confiante. A audiência teve média de 14
pontos no Ibope. O que eu posso afirmar é que, enquanto militante desse
governo, saio desse debate mais disposto para a luta. Temos mais material
para trabalhar.

12:41 AM


Anônimo disse...
Como se vê aqui, opiniões sobre o mesmo fato são tão contraditórias, que
parece que presenciamos debates diferentes.. Por exemplo: dizer que o Lula
esteve mais nervoso que o alckmin, para todos com quem assisti, e falei após
o debate, seria um acinte. Estou falando em opiniões apenas. Todos, e foram
mais de 10 pessoas que conversei, têm opinião diametralmente oposta às suas.
Concordo com o primeiro comentário. Na minha opinião, foi nítida a diferença
de ''conteúdo'' entre os dois. O alckmin parecia um robô, as vezes um
papagaio mal treinado e incapaz de perceber quão ridículo estava sendo. O
Lula dominou o debate e os telespectadores. Até mesmo alguns jornalistas
sabidamente pró-tucanos que comentaram em outros canais e blogs/sites
reconheceram em sua maioria. Tirando poucos "engajados, foi quase unânime a
vantagem do Lula. Mas são opiniões, apenas. abçs nildo

1:26 AM


Ruth disse...
Pois o que me chamou a atenção foi a agressividade obviamente ensaiada do
Alckmin que, para quem está em casa e não é "alquimista de nascença" soa
falsa, exagerada, à beira de um ataque de nervos. Arrogância e grosseria o
tempo todo, demonstra sim fraqueza e falta de controle. Li em algum lugar
que parecia que ele ia destampar de uma vez só tudo o que ensaiou com seus
treinadores, ex-ministros de FHC. É claro que a intenção era encurralar
Lula, de saída, e fazê-lo desequilibrar-se. Como observaram uns amigos que
estavam comigo, alguns dos quais alquimistas de nascença. Aí é que o Lula se
recuperou e usou muito bem da ironia. Trata-se de imagem e num programa de
tevê, a imagem que fica é muito importante, já que debate de idéias nesta
eleição não vai dar mesmo.

3:11 AM


Miguel do Rosário disse...
vocÊs estão vendo? essas opiniões contraditórios nos permitem montar, no
micro-cosmo que é esse blog, uma análise bastante consistente sobre o
debate.

Esta análise, quanto mais objetiva for, mais nos instrumentará para realizar
o embate político diário. e nada mais objetivo do que confrontar opiniões
diferentes, realizando o que filosoficamente é conhecido como exercício
dialético - que é, historicamente, o caminho mais seguro de se aproximar de
uma verdade.

3:37 AM


jose carlos lima disse...
Enquanto começa o debate na Band, eu estava assistindo ao Painel Globo News,
com os cientistas políticos Luciaano Dias e, se não me engano, Simon
Lamounier e outro cujo nome não me recordo. O entrevistador era Willian Vaca
digo Wack. O Vaca digo Wack jogou a bola o tempo todo para os tais
"cientistas", com sua neutralidade científica esquecida lá onde o Judas
perdeu as botas atacarem de forma covarde Lula e seu eleitorado "pobre e
nordestino." Sei lá se esta corja pode ser classificada de cientista. O Wack
afirmou que Alckmin teve maioria nos Estado em que se paga impostos e Lula
nas regiões onde se vive dos impostos pagos. Neste momento, um dos
"cientistas" percebeu que Wack foi longe demais no seu exagero racista, ai
ficaram tentando consertar, sabe, aquelas coisas que não deveriam ter sido
ditas, enfim, colocaram a "Operação Esparadrapo" em ação.

Deixei o "Painel Globo News" com sua baixaria prá lá e passei para a Band.
Já estava começando o segundo bloco. A princípio tive má impressão esta
impressão que você aponta Miguel: um Lula contido, nervoso. Entrei em
pavorosa.

Meu medo se desfez quando percebi que Lula, talvez após uma boas respiradas,
soltou-se e partiu prá cima do mala-sem-alça do Alckmin com seu sorrisinho
amarelo=pálido. Ridículo o Geraldo Boneco de Plástico Alckmin, como muito
bem definiu a linda e competente Marta Suplicy.

Lula sofre da desvantagem de os brasileiros lhe imputarmos o papel de
super-homem. Sabe aquela coisa que acontece com a seleção brasileira? Mesmo
sendo vitoriosa,
sempre achamos que poderia ter sido melhor. Pensando assim, achei que Lula
poderia ter-se saído melhor no momento em que Alckmin puxou o assunto da
aquisição do avião presidencial que Alckmin disse que vai vender.

Cá prá nós, imagina só, depender de avião de carreira para se deslocar por
este país de dimensões continentais.

Vendendo o avião presidencial, vai ver que Alckmin vai viajar de ônibus ou
de avião de carreira. Neste caso, vai esperar dois dias para, em caso de
emergência, deslocar-se de Brasília para o Sul do Maranhão. Talvez a
autonomia de vôo que o avião presidencial permite, realmente não seja útil a
Alckmin, já que, pelo jeito, ele não pretende viajar para regiões distantes
onde os aviões de carreira não vão.

Quem sabe faça parte dos planos do Boneco de Plástico fretar os jatinhos dos
amigos para deslocar-se pra aqui pra acolá?

O outro ponto que aponto onde Lula deveria ter-se saído melhor foi quando se
tocou na questão do crescimento econômico. Os brasileiros, especialmente a
classe média, que vota baseada neste requisito, precisa saber que, na Era
Tucana, o Brasil crescia menos do que agora.

E não adianta este blá blá de crescimento espantoso sem distribuição de
renda.

O Geraldo Boneco de Plástico Alckmin comparou o crescimento brasileiro com o
da Argentina, mesmo sabendo que o crescimento argentino é uma bola de neve,
é prá inglês ver, ou seja, baseado em plano econômico do tipo Plano Cruzado,
e não em desenvolvimento industrial ou coisas do tipo passagem de mero
exportador de matéria-prima para exportador de produtos manufatarados e
tecnologia. Chega a ser fraudulento a comparação que os psdfelentos fazem
acerca do crescimento econômico entre Brasil e Haiti. Imagine só se o Haiti
crescer 100% se isso significa alguma coisa. Não significa nada. Já o
crescimento de algo em torno de 3% de países como o Japão por exemplo, é
algo espantoso. Então não dá prá comparar crescimento do Brasil com a
Argentina.

além disso, é uma economia pequena, não dá pra comparar o crescimento do
Brasil com o do Haiti. Até parece que o Japão também não cresceu menos de
3%.

Enfim, a tática do Geraldo Boneco de Plástico Alckmin foi humilhar Lula e
nada mais, daí o fato de referir-se a ele como "o candidato Lula" ao invés
de "presidente Lula."

Xô Satanás!

9:23 AM


jose carlos lima disse...
Eu quis dizer "Operação Esparadrapo na Boca" em ação.

Onde está escrito "vaca, leitoa, jabá e hipódromo" acrescente-se
merdal,sendo este último o Merdal digo Merval Pereira.

Será que estou me esquecendo de mais alguém da lista de defensores do
Geraldo Boneco de Plástico Alckmin?

10:07 AM


Anônimo disse...
Alckmin apresentou a privatização da Telebrás como o grande feito da Era
Tucana. Alckmin afirmou que, agora, todos tem telefone. Ele só não disse que
após a privatização a assinatura básica subiu às alturas. Ele não disse que
FHC assinou contratos com as empresas te telefonia, agora privatizadas, que
impedem o ministro Hélio Costa de baixar tais tarifas sob pena de o Brasil
ser processado em tribunais internacionais por quebra de contrato.

Entrei no google para tentar localizar o nome de um autor e título do livro
sobre as privatizações da Era Tucana. Se não me engano, o nome do autor é
Luis Carlos Byond. O nome deve estar errado, pois não achei nada no google.
Pesquisando com a palavra privatizaçãoes apareceu o que se segue, o que
desbanca o propalado sucesso da privatização da Telebrás:

29/07/2005
Técnicos contestam assinatura básica

Associação de Engenheiros de Telecomunicações aponta que, na época da
estatal, mensalidade do telefone não passava de US$ 3

Renato Cruz

"Minha crítica não é ideológica", afirma o engenheiro Ruy Bottesi, diretor
da Associação de Engenheiros de Telecomunicações (AET) e professor da
Fundação Getúlio Vargas de Campinas. Ele afirma que o modelo brasileiro de
telecomunicações está errado. Apontada por muitos como a mais bem-sucedida
privatização feita no País, a venda da Telebrás, que comemora sete anos
hoje, resultou em preços altos e atendimento ruim, na visão de Bottesi e de
seus colegas Rui Alvarenga, presidente da AET, e Félix Wakrat, diretor do
Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (Seesp).

Como uma grande parcela da sociedade, os engenheiros estão descontentes com
a assinatura básica da telefonia fixa, que custa cerca de R$ 38. "Antes da
privatização da Telebrás, nunca foi cobrado mais do que US$ 3 (R$ 7,20)",
diz Bottesi, citando o livro Privatização das Telecomunicações, publicado
pelo advogado Gaspar Vianna em 1993. Acontece que, na época da Telebrás,
havia subsídio cruzado (as tarifas de longa distância compensavam o preço
baixo na assinatura) e o governo usava as tarifas de telefonia para segurar
a inflação.

As operadoras dizem que a assinatura serve para pagar os custos de
manutenção do acesso. "O prestador de serviço terceirizado recebe de R$ 5 a
R$ 6 por mês para manter cada linha funcionando", aponta Alvarenga.
"Socialmente, o preço da assinatura básica é insustentável." O engenheiro
defende a extinção da assinatura, com um prazo para que as operadoras se
adaptem à nova situação.



Fonte:
http://www.link.estadao.com.br/index.cfm?id_conteudo=4445




.............................................

Grato,

José Carlos Lima
Goiânia - Rio Meia Ponte
http://ideia70.blogspot.com/

_________________________________________________________________
Inscreva-se no novo Windows Live Mail beta e seja um dos primeiros a testar
as novidades-grátis. Saiba mais:

Prioridade normal Re: O Buraco do Bial

De:
Campanha Eletrônica 
Companheiros(as),



Recebemos muitas mensagens desde que o site da campanha foi lançado, no
início do mês de agosto. Começamos o trabalho de responder àquelas que
chegavam e imaginávamos que seria possível dar conta de todo o trabalho. Só
não tínhamos idéia da quantidade pessoas que escreveram suas mensagens,
sugerindo ações e temas para o programa de TV, bem como para o Programa de
Governo. Foram muitas mensagens e poucas pessoas para respondê-las. Por
isso, pedimos desculpas para as pessoas que não tiveram suas mensagens
prontamente respondidas.

Aproveitamos para transcrever um trecho do artigo escrito pelo secretário de
Relações Internacionais do PT, Valter Pomar, que reflete perfeitamente o
nosso sentimento, depois das eleições do dia 1º de outubro. Temos uma tarefa
importante, que é vencer no Segundo Turno e dar continuidade aos projetos de
mudança que iniciamos em 2003.



Idéias para o dia seguinte

A eleição de 2006 é cheia de ensinamentos. Temos motivos para comemorar a
votação recebida por Lula, apesar do brutal bombardeio adversário.
Festejamos nossa vitória, já no primeiro turno, nos estados do Acre, Ceará,
Piauí e Sergipe. Vibramos com nossa ida ao segundo turno no Rio Grande do
Sul e no Pará, bem como com o resultado maravilhoso obtido na Bahia, onde
iniciamos o desmonte de décadas de hegemonia carlista.

Temos também muitos resultados problemáticos, que devem ser analisados com
calma, com destaque para o nosso desempenho no sudeste (São Paulo, Minas,
Rio de Janeiro e Espírito Santo), além do caso de Santa Catarina. Isto para
não falar de fatos lamentáveis, como a eleição de Collor para a vaga de
Heloísa Helena no senado; e de Paulo Maluf, Clodovil e Enéas, entre os
deputados federais mais votados em São Paulo.

Entretanto, o balanço detalhado desta e de outras questões, deve ficar para
novembro. A tarefa da hora é vencer o segundo turno da eleição presidencial
e as disputas para governador, nos estados em que chegamos lá.

O Partido dos Trabalhadores e a campanha Lula não podem perder um segundo
sequer.

Um forte abraço!



Até a vitória no dia 29 de outubro.



Equipe da Campanha Eletrônica



-----Mensagem original-----
De: jl2006
Enviada em: quinta-feira, 24 de agosto de 2006 07:57
Para: presidencia; internet; la; snc
Assunto: O Buraco do Bial

Inédito!!!!!! O Pedro Bial achou um buraco na estrada!!! Depois de rodar
milhares de kilômetros com o seu "Bonde do Desejo" ou sei lá que nome se
deu ao tal Bonde do Bial, a Globo chamou a atenção para a notícia no
Jornal Nacional que o Pedro Bial achou um buraco na estrada! Também
pudera.Depois de rodar por semanas e mais semanas, inclusive nos EUA não
seria motivo de tanto alarde um buraco numa estrada. Não entendi o
motivo pelo qual a Globo deu tanto destaque ao "Buraco do Bial". Quanto
a mim, que estou de férias no Sul do Maranhão, não achei nenhum buraco
vindo de lá prá cá. Por isso nem me dei ao trabalho de assistir ao
Jornal Nacional para ficar sabendo onde ficaria situado o tal "Buraco do
Bial"

José Carlos Lima
Sambaiba - Rio Balsas

Vendo que exagerei na minha própria passionalidade=paixão, corri para o
Hospital Geral. O meu diálogo com a minha médica foi assim. Eu: agora estou
metido com esta história de blog. Estou sofrendo de uma doença que ainda não
batizada. Blogomania. Ela: você tem sumido. O que está ocorrendo com você?
Eu: é a política. Nestas eleições não fiz o que gosto de fazer que é ir aos
comícios. Sei lá. Estas eleições nunca foram tão virtuais. Cadê o povo? Cadê
as multidões. Teve somente um comício do Lula. Gostei. Muita gente bonita.
Quase 20 mil pessoas. Ontem teve um evento do candidato anti-Lula. Todos de
amarelo. A senhora sabia que o TSE proibiu estes abusos, compra de votos com
camiseta? Pois é, o TSE permitiu assim de última hora. O candidato anti-Lula
já estava com as camisetas prontas. No mocó. No dia da eleição, nas
periferias, estão trocando estes brindes, as camisetas, por votos. Coisa da
nossa (In) Justiça Eleitoral, que proíbe as coisas pro Lula e permite para
ou outro. A este respeito, ouça a música “Por Debaixo dos Panos”, gravada
pelo spin cantor Ney Matogrosso. No momento não me recordo quem é o
autor. Fico devendo. Depois informo, autor nenhum gosta que citem sua obra
mas não sua autoria. Vou pesquisar e depois informo.



Pois é, doutora, no momento estou envolvido com a escrita. Como sempre
estive. Sei lá. É para atingir um certo grau de espontaneidade. Escrevo para
ser feliz. Sempre escrevi. Comecei escrevendo no meu próprio corpo. Por
volta dos 12 anos de idade. Escrevia escondido para não ser repreendido
pelos meus pais. Usava blusa de manga comprida para ninguém ver meus textos.
Escrevia e ficava ali. O livro escrito nas pernas. Nos braços. Em todos os
lugares. Tomava banho. O livro desaparecia e escrevia de novo. Virou vício.
Por isso até hoje escrevo. Não consigo não escrevo. Quando não escrevo entro
em estado de solidão=pânico=tristreza.



Doutora, pela primeira vez estou escrevendo sabendo que vou ser lido por
alguém. Antes eu escrevia e meus textos desapareciam feito picolé ao sol.
Agora não. Tenho um blog. Ela: engraçado. Noto que você não quer nada
material. Suas coisas não vão até o fim. Sua obra é de uma intensa
desmaterialização. Você não consegue escrever sob encomenda. Eu: eu sei o
que a senhora está querendo dizer. A senhor está dizendo que sempre me
interrompo. Nunca vou até o fim. Isto é verdade. Adoro deletar minhas obras.
De repente me dá vontade de apagar tudo e apago. Sem deixar vestígio
nenhum. Acho que é coisa da infância. Já comecei assim. Eu escrevia meu
livros no próprio corpo. Quando eu chegar ao 70º capítulo tomava banho e o
livro desaparecia. Escrevia de novo. Isto virou
vício=condicionamento=facilidade. Escrevo para tomar banho.





Escrito por José Carlos Lima às 10:19
[(0) Comente] [envie esta mensagem]





Cont... (67)



Doutora, tenho pensado ultimamente sobre a conveniência de publicar ou não
um livro. Sei lá. Já escrevi tanto! Escrevo desde os 12 anos de idade. O rio
sempre levou meus livros para o mar. Dias atrás sonhei com meus livros no
fundo do mar. Era um bordado. E estava escrito “fonte de águas bordadas sob
o mar” . Vou encadernar e publicar. Não há muito segredo, a não ser o
dinheiro pra pagar a publicação. A Bruna Surfistinha, spin escritora,
humana, lançou um livro baseado em blog. Um jornalista preparou o livro pra
ela. Quem sabe eu ache um jornalista que me ajude? Quero que isto se torne
uma coisa material e não apenas virtual. Quero tocar no meu blog de forma
material. Não há segredo, não é? O que tenho escrito será publicado. Tem
muita gente que só vai ler o que escrevo se puder comprar o livro na feira.
Gente que não tem acesso a computador, os excluídos digitais. Até os vídeos
citados no meu livro as pessoas poderão assistir. Inclusive vídeo citado na
caixa de comentários. Hoje mesmo uma pessoa deixou ali um vídeo sobre as
Organizações Globo. Na caixa de comentários do capítulo 67. Claro que não
vou deixar os meus leitores de fora. Vou dar um jeito de inserir os
comentários deles. E se por acaso houver comentário demais, de repente posso
resolver isso publicando alguns apenas. Porque=por que= porquê= por quê não?



Tenho o maior cuidado e carinho para com os comentários. Até mesmo os
impublicáveis eu considero. E você acha mesmo que sou de jogar lixo fora?
Não. Estão todos guardados. Só deleto mesmo aqueles que, noto, podem me
comprometer na Justiça, coisa tipo calúnia ou difamação contra outrem. Isto
vou apagar. Simples xingamentos contra a minha pessoa não jogo fora porque,
como já disse, sou contra desperdiçar lixo. Vou inserir, num capítulo
especial, tais lixos, exceto os de caráter criminoso. Também vou deletar
qualquer xingamento contra meus leitores. Quero que meus leitores se sintam
seguros na minha casa. Portanto, não venham com esta de depreciar qualquer
um de meus leitores(as). Isto não vai merecer capítulo especial. Os
xingamentos contra a minha pessoa sim. Portanto continue me chamando de
filho do “Ali Babá, Hugo Chavez, Fidel Castro...” quem mais você pode nomear
como meu pai? Tem um que disse que havia visto falar sobre meu blog e que,
por isso, por causa de tais comentários, ele fez questão de ver
pessoalmente. Quer dizer que estou famoso? Estou sendo comentado? Que
bom!!!! Estão falando de mim aonde? Nas salas de bate-papo? No MSN? No
orkut? Vai ver que já tem até comunidade tipo “Odeio o José Carlos Lima’.
Pronto. Estou famoso.



Escrito por José Carlos Lima às 10:13
[(0) Comente] [envie esta mensagem]





Cont...(68)



Comentários dos leitores

Prezado (a) leitor (a),

o contador de acessos desta página indica um número até surpreendente de
visitas. No entanto, os visitantes não têm deixado seus comentários.

É um direito de cada um querer ou não opinar, mas acredito que quem acessa
um espaço como este é alguém preocupado com o debate das grandes questões
nacionais e dotado de qualificações para dar seu testemunho ou rebater o que
julgue incorreto.

Ao clicar em "comentários" no canto inferior esquerdo no fim de cada texto,
o leitor que fizer seus comentários não precisará preencher o campo e-mail e
nem mesmo dar seu nome verdadeiro.

Agradeço mais uma vez suas visitas a este blog e deixo-lhe meu convite para
que opine também.

Abraços,

Eduardo Guimarães



Comentários:



Alyda Sauer] [RJ - RJ - Brasil] [tradutora]
Eduardo, concordo com Miguel do Rosário, seus artigos são muito bons e
costumo divulgá-los bastante, em listas e inclusive num site/blog que montei
com amigos e que acho que vai gostar de ver: http://www.informante.net/. Além de
continuar escrevendo, você podia fazer mais charges prá gente espalhar por
aí. Seu desenho é ótimo. Não desista e não se preocupe com os comentários.
Visito seu blog quase todos os dias. É favorito.

26/02/2006 17:55







[Calypso] [Rio de Janeiro:RJ:BR] [estagiária]
Só tiraria seu auto-retrato,faz uma figuração muito sincronizada com o homem
raivoso(há que conter),suas matérias são esplendidas para serem
comentadas.Brasil agora é muito mais desafiador com o dasafino de políticos
e governo,explodindo e implodindo com a nação.Grata Calypso,mulher com o
nome verdadeiro e de origem grega,sua leitora.

25/02/2006 18:32

RESPOSTA:
obrigado
minha cara, agradeço seus comentários sempre lúcidos. Abração

[Miguel do Rosário] [Escritor & Jornalista]
Eduardo, sou leitor atento de seu blog e fã de seus raciocínios, mas vejo
que você está entrando na crise que todo blogueiro enfrenta, e que eu até
hoje enfrento (sou blogueiro há mais tempo). É a crise dos Comentários.
Tente não se preocupar com iso. Seus artigos serão lidos, às vezes, bem
depois. Os leitores vão procurar em Arquivos. Os artigos constarão nos
sistemas de busca automática do Google e outros e serão lidos por pessoas do
mundo inteiro. Vai escrevendo sem pensar muito niso. O que é interessante é
ir melhorando sempre o visual do blog. Pode abrir uma margem entre o texto e
o cinza. Ir caprichando sempre mais nos artigos, incluir fotos, imagens. E
curtir. A maioria dos blogs são abandonados depois porque seus donos começam
a ver como obrigação. Valeu.

25/02/2006 16:00



Fonte: Blog Cidadania.com . Eduardo Guimarães.
http://edu.guim.blog.uol.com.br/





Escrito por José Carlos Lima às 10:11
[(0) Comente] [envie esta mensagem]





Cont... ( 69 )



Doutora, como blogueiro, nasci numa caixa de comentários do Óleo do Diabo,
com o empurrãozinho dado pelo Anão Corcunda, que me fez despertar para a
necessidade de ter meu próprio blog, já que, pelo jeito, deu ele a entender,
eu adorava escrever, pois escrevia longos textos na caixa de comentários.



Ela: vê se vai até o fim. Você costuma interromper seus processos de
repente. Somes sem deixar vestígios=notícia. Já que agora você tem um
público, segura as pontas. Segue em frente. Não te interrompas. Sei que você
não gosta de rotina nem de escrever por obrigação. Eu: isto é verdade. Já
deletei muitas coisas que escrevo. Sinto que não ta bom a forma ( não o
conteúdo ) e apago tudo. Desta vez quero ir até o fim. Sei lá. Tem hora que
digo pra mim mesmo: chega de viajar na maionese. Chega de tanta bobagem.
Será que sou uma beta=tosqueira? Os capítulos 68 e 67 por exemplo foram
escritos na velocidade de um relâmpago: vapt vupt. Eu não queria ser
escritor vapt vupt. Sei lá. Eu queria sentar-se na cadeira. Escrever uma
versão. Refazer. Fazer de novo. Até está pronto de ser apresentado ao
público. Se consigo isso? Não. Mal escrevo e já coloco o texto, totalmente
experimental=irracional=passional à disposição do público. Depois
pergunto-me: meu Deus, que vergonha. Que loucura. Onde eu estava para
escrever desta forma. O conteúdo tudo bem. Não retiro o que eu disse. Ocorre
que estou achando a forma esquisita. Estes números. Que coisa de versículo
essa? Ah sim, na hora em que eu estava escrevendo, no fundo no fundo eu
estava achando que eu era Jesus voltando à Terra. Tanta bobagem da minha
parte. Eu Jesus? Eu Idéia Sem Morte no Coração do Brasil. Gente, me
desculpem=compreendam, ta? A minha médica vai me curar disso, esta coisa de,
volta e meia, eu me imaginar como alguém que veio decretado para salvar este
mundo. Tenha dó. Por isso às vezes não me suporto. Outras vezes morro de
vergonha de mim mesmo. Oh, céus. Onde eu estava para escrever desta forma?
Tenha a santa paciência.



Doutora, a senhora viu o Jornal Nacional? Mostrou a foto do dinheiro.
Lacerda, leia-se lacerdismo em carne-e-osso e cosso-carne. Tanta
coincidência com o período que antecedeu ao suicídio de Getúlio Vargas. Como
o mundo é estranho. Lacerda. Moral da história: até que enfim as elites tem,
de novo, um Lacerda. Elas estão usando-no, em pleno dia da eleição, para
derrotar o presidente Getúlio Vargas digo Lula. No momento ouço foguetes.
Eles estão eufóricos com suas bandeiras, camisetas=brindes autorizados pela
(in) justiça eleitoral. A este respeito leia=ouça “Que País é Este?” não sei
o nome do cantor nem do compositor. Depois te direi=olharei=serei.





Escrito por José Carlos Lima às 10:06
[(0) Comente] [envie esta mensagem]







Cont...



O mundo é incrível. As leis não são estas que você imaginam devam ser
obedecidas. As leis são outras. As leis não estas escritas por estes
asseclas. Leis que eles mudam ao calor dos próprios interesses. E você não
viu como a Rapunzel, aquela dos grampos, a do TSE cortou todos os programas
de Lula? Tenho-me perguntado: o que falta imputar a Lula para ele ser
derrotado? Já fizeram de tudo. A última jogada foi a da Globo mais uma vez
usando o Lacerda. Lembram-se do Lacerda anti-Getúlio Vargas. Então... A TV
G, a elite, mais uma vez tem um Lacerda. Vocês viram que lindo o
encerramento da caravana Jornal Nacional? Lindo né. A cor amarela, não o
amarelo da bandeira do Brasil mas o amarelo do candidato deles, o candidato
sem povo, estava presente. Ficou tudo uma melaço só. Ora entrava as matérias
sobre nossas eleições, sempre fazendo uma ligação forçada com o Pedro Bilau
digo Bilau digo Bial. Aí compreendi. Ah sim, agora entendi. O Bilau
vasculhou o Brasil inteiro para fechar assim: ta vendo? Meu candidato é o da
cor amarela, não o amarelo da bandeira do Brasil mas o amarelo pálido, o
G.A. 69 CPIs Enterradas com sua cara de febre amarela.



A vingança da G, spin verbalizadora, pessoa jurídica contra Lula foi
implacável foi implacável nesta noite. Na noite de ontem vi revelado na
minha o incrível poderio dos Marinho. Incrível como neste país no máximo 6
famílias, entre elas os Frias, Civita e Marinho, mandam e desmandam. No
máximo 6 Seis. 6. Sei. 666. Sei. 666.6666. Sei. Eu: te conheço. Marinho:
vinguei-me. Ta vendo? Mostrei o dinheiro usado para comprar o dossiê contra
Serra, o meu candidato. Ta vendo no que deu mexer com meu Serrote digo
Serra? Além disso, o Lula não veio para o debate para ser agrredido pelo
G.A., o meu candidato. Assim, não pude transformar a minha televisão em
palco eleitoral para ele. Pois eu posso. Eu tenho poderes tão grandes que
nem sois capazes de imaginar. Eu mando=arrebento. Eu sou um Marinho. O meu
candidato é G.A. 69 CPIs Enterradas Febre Amarela. Tem mais: a TV G, minha
boca, perdeu muito em audiência por causa do personagem Lula Ausente. Aquela
cadeira. Ficou ridículo o meu candidato falando com uma cadeira vazia. Por
isso vinguei-me. Agora tenho um, mais um Lacerda que, é claro, posso usar
contra vocês petistas e simpatizantes tolos. Tolos foram vocês que não
imaginaram o quanto sou poderoso. Tenho a Miriam Leitoa, o Arnaldo Jabá, o
Diogo Marinardi, a Lúcia Hipódromo para atacar vocês através de
textos=crônicas inteligentes. Portanto, não mexam com os Marinho. Enfim, não
tentem contra nós. Temos até a esquerda dividida aos nosso lado, os ricos se
desmanchando em prantos por causa das lágrimas de Heloisa Helena no debate.
Incrível. Desde quando se viu rico, no restaurante Fasano, chorando por
causa de pobre? Pois eu vi na TV G. O filhinhos de papai se desmanchando em
prantos no Fasano por causa do berreiro de HH no debate. Só faltou uma
carpideira para completar o teatro do absurdo.



Caros leitores, no momento tenho que sair. Veja só, amigo. Estou saindo. Não
consigo deixar de postar minhas palavras. Como já disse, sofro de pressa.
Depressa. Não queria ser assim. Eu gostaria de revisar este texto antes de
colocar à disposição do público. Como eu gostaria que estes texto fosse lido
pela minha médica antes de vir a público. Não consigo. Tudo bem. Opine
assim mesmo. Mas me perdoe=compreenda por ter escrito este texto sob tanta
pressa=rapidez=passionalidade. Ah, antes que eu me esqueça. Alguém postou na
caixa de comentários do capítulo 67 um vídeo. Trata-se de um documentário
produzido pela BBC de Londres. Ele nunca foi produzido no Brasil porque a TV
G o proibiu. Ao divulga-lo faço com a sensação de estar reagindo com o
incrível poderio da Rede G, spin verbalizadora, pessoa jurídica. Veja como
agem os cidadãos Kane. Você está acompanhando uma obra em construção. Sem
revisão. Desculpe-me=compreenda-me se por acaso excedo, se perco as
estribeiras, o controle. Enfim, perdo-me se invés de vida sou a morte.



Escrito por José Carlos Lima às 09:58
[(0) Comente] [envie esta mensagem]


29/09/2006


67

Jose Carlos Lima





62 se eu vi o debate ontem a noite entre os presidenciáveis

Sim

Se gostei?

Adorei

De quem mais gostei?

Do Lula ausente

A respeito da participação de Lula no debate

Até ontem eu estava 50 % a favor e 50% contra

Sei lá

Não vá

Vá Lula

Mas agora que vi o debate

Vi que ele não deveria ter ido

Tanta baixaria

Que coisa deprimente!

Até disse cá pra meus botões

Vá Lula

Vá pra soltar todos os cachorros nesta cambada

Lula não foi

Que alívio

Não iria sobrar ninguém

Que alívio quando vi na Rede G

E não vou

E não foi

Que alívio

E se houver segundo turno

Não será por isso

Quem sabe esta mídia suja use muito bem o Lacerda

Pois é gente,

Mais uma vez uma Lacerda em nosso caminho

Coincidência?

Sincronicidade

Diabo, e tu já não havias morrido?

Ainda com referência ao debate

Lula agradeceu à TV G, spin verbalizadora, pessoa jurídica nestas eleições

Ele agradeceu ao “comportamento exemplar” nestas eleições

Eta Lula fino né gente

Comportamento exemplar da TV G

Hahahahahahahahaha

E se houver segundo turno

Assim como quer a TV G

Não adianta

A vitória estará apenas sendo adiada

Pois não dá outra

É Lula

E o nosso “baixinho” voltará ao poder

Quantas vezes quiser

Quando puder=quiser

Por isso a Rapunzel de grampos nos cabelos

Não pára com sua tesoura

Eu sei que a Rapunzel vai cancelar este meu blog

Pois cancele

Eu volto

Gente,

Falando nisso, tenho que sair pra trabalhar

Tchau

Tchau Rapunzel!



Escrito por José Carlos Lima às 08:34
[(2) Mais de um comentário] [envie esta mensagem]





68

Jose Carlos Lima






.............................................

Grato,

José Carlos Lima
Goiânia - Rio Meia Ponte
http://abandon.zip.net/


Para cessar cancelar o recebimento responda esta mensagem com cancelar

...............................

_________________________________________________________________
Inscreva-se no novo Windows Live Mail beta e seja um dos primeiros a testar
as novidades-grátis. Saiba mais:
http://www.ideas.live.com/programpage.aspx?versionId=5d21c51a-b161-4314-9b0e-4911fb2b2e6d

Nenhum comentário: